Anotomia do Espirito

Anatomia do Espírito – As sete fases do Poder e da Cura

Um livro surpreendente de Caroline Myss, cheio de ensino, um livro a ler e reler. Um incentivo para aproveitarmos os momentos de crise em nossa vida para evoluirmos espiritualmente. Um convite para olharmos dentro de nós em busca do nosso poder e resgatá-lo por assumi-lo e praticá-lo no dia a dia.  A cura é possível e “exige actuação” e para tal “devemos socorrer-nos dos nossos recursos interiores para encontrar a força material para abandonar as nossas convicções e comportamentos ultrapassados e vermos-nos de novas formas saudáveis”.

anatomia_espirito

Deixo aqui alguns pequenos trechos…

Os nossos espíritos contêm as nossas vidas e as nossas escolhas de vida. Entretecemos realmente os nossos espíritos nos acontecimentos e relações das nossas vidas. A vida é tão simples como isso…

De acordo com a medicina energética, somos todos livros de histórias vivos. Os nossos corpos contêm as nossas histórias – todos os capítulos, linhas e versículos de cada ocorrência e relação das nossas vidas. À medida que as nossas vidas se desenrolam, a nossa saúde biológica transforma-se numa afirmação biográfica viva que respira e transmite os nossos pontos fortes e fracos, esperanças e medos. Todos os pensamentos que já tiveram viajaram através do vosso sistema biológico e activaram uma reacção fisiológica.

A ideia de que a biografia se torna biologia implica que participamos até certo ponto na criação da doença. Mas – e este é um ponto crucial – não devemos abusar desta verdade culpando-nos ou a quaisquer pacientes por adoecer. As pessoas raramente optam conscientemente por criar uma doença. Pelo contrário, as doenças desenvolvem-se em consequência de padrões comportamentais e atitudes que não nos apercebemos que são biologicamente tóxicos até se transformarem em doença.

O poder está na raiz da experiência humana. as nossas atitudes e padrões de convicções, quer positivos quer negativos, são extensões de como definimos, usamos ou não usamos o poder. (…) A nossa relação com o poder está na essência da nossa saúde…

Aprender a linguagem simbólica da energia significa aprender a avaliar a dinâmica do poder em si próprio e nos outros. A informação energética é sempre verdadeira. Embora uma pessoa possa concordar verbalmente com qualquer coisa em público, a sua energia declarará como ela se sente realmente, e os seus sentimentos reais encontrarão caminho para uma declaração simbólica qualquer. Os nossos sistemas biológicos e espirituais procuram sempre expressar a verdade, e encontrarão sempre maneira de o fazer.

O processo de restabelecimento é passivo; ou seja, o paciente inclina-se a entregar a sua autoridade ao médico e ao tratamento prescrito em vez de contrariar activamente a doença e reclamar a saúde. Curar-se, pelo contrário, é um processo activo e interior que inclui investigar as atitudes, recordações e convicções da pessoa com o desejo de se livrar de todos os padrões negativos que impeçam a completa recuperação emocional e espiritual da pessoa. Essa análise interior leva inevitavelmente a pessoa a rever as suas circunstâncias exteriores no esforço de recriar a sua vida de uma forma que sirva a activação da vontade – a vontade de ver e aceitar verdades sobre a vida da pessoa e como utilizou as suas energias; e a vontade de começar a usar a energia para a criação de amor, auto-estima e saúde.

As sete verdades sagradas que estas tradições partilham residem na essência do nosso poder espiritual. Instruem-nos sobre como direccionar o poder – ou força vital – que percorre o nosso organismo. Com efeito, corporizamos essas verdades nos nossos centros de poder. Fazem parte do nosso sistema de orientação física e de orientação interior e são, ao mesmo tempo, um sistema de orientação exterior universal para o nosso comportamento espiritual e para a criação de saúde. A nossa tarefa espiritual nesta vida é aprender a equilibrar as energias do corpo e da alma, do pensamento e da acção, do poder físico e mental. Os nossos corpos contêm um projecto imanente de cura.

Dado que todo o stress humano corresponde a uma crise espiritual e é uma oportunidade de aprendizagem espiritual, adquire-se discernimento quanto ao uso, abuso ou má orientação do próprio espírito, do poder pessoal, em quase todas as doenças.

Anatomia do Espírito – As Sete Fases do Poder e da Cura, Caroline Myss, Sinais de Fogo, Lisboa, 1.ª edição, 2004

Jornalista de formação, Caroline Myss dedica-se à medicina energética desde 1982, ano em que, para sua grande surpresa, começa a trabalhar como intuitiva médica. Depois de muito investigar sobre o assunto, escreve Anatomia do Espírito, onde demonstra como todos os problemas de saúde resultam de determinados padrões de tensão emocional e psicológica, convicções e comportamentos, os quais, por serem praticados continuamente, acabam por afectar as zonas correspondentes do corpo humano.